A Metodologia Agile é um modo de desenvolver software que antecipa a necessidade que esse desenvolvimento tem de ser flexível e que aplica doses de pragmatismo nas entregas. Mas o que exatamente isso significa?

Conhecer a Metodologia Agile pode ajudar os profissionais de RH a se organizarem melhor. Isso porque SCRUM, Tribos e Squads são técnicas Agile que podem ser aplicadas também à sua rotina de trabalho.

No artigo de hoje, você saberá tudo que é preciso para dominar de uma vez por todas a Metodologia Agile. Além disso, entenderá o impacto que essa técnica terá nos recursos humanos. Confira!

O que é a Metodologia Agile?

A Metodologia Agile é um recurso utilizado no desenvolvimento de software desde 2001. Baseada no Manifesto Agile, um documento com uma série de orientações a respeito do que seria o desenvolvimento de software ágil, ela dá uma ênfase à comunicação entre equipes.

Isso, muito mais que processos e ferramentas, tem influência na maneira como o software é criado.

Outro grande foco do documento é a satisfação do consumidor. Como sua principal orientação é a divisão de tarefas em partes menores, que podem ser endereçadas com mais agilidade, dentro do Agile a experiência do usuário é vista como algo muito importante.

Mas o que a Metodologia Agile tem que pode transformar o trabalho nos departamentos de recursos humanos? É isso que mostraremos a seguir.

Como funciona a Metodologia Agile no RH?

Depois de se popularizar como metodologia, o Agile começou a se expandir para outros campos além da criação de software. Com isso, surgiu um movimento conhecido como Agile RH.

O que começou com uma discussão sobre como escalar o Agile para além dos departamentos de tecnologia findou na criação de maneiras para se administrar melhor orçamentos e pessoal.

O Agile RH nasceu da percepção de que a maioria dos conceitos do Manifesto Agile poderia ser transportada para o trabalho do departamento de recursos humanos sem prejuízo. Assim, times responsáveis pelo recrutamento, treinamento e comunicação com as equipes puderam contemplar uma nova forma de fazer seus trabalhos.

Como no Agile para desenvolvimento de software, a prioridade é o valor gerado e a maximização dos fluxos de trabalho. Isso pode ser feito adotando-se técnicas como a Kanban, uma das práticas mais comuns para se adotar o Agile.

Mas para que o Agile funcione fora do ambiente da produção de software, uma coisa é extremamente necessária: a equipe tem que se predispor a estudá-lo e adaptá-lo para o cenário específico que enfrenta diariamente. Não há como simplesmente seguir um framework específico.

É preciso ser inventivo e detectar nas estruturas atuais oportunidades para ser Agile. Isso pode levar um tempo, mas os resultados costumam compensar.

Se em uma aplicação tradicional o Agile costuma funcionar para ampliar as funções de um funcionário e melhorar sua performance, no RH ele pode oferecer oportunidades de aprendizado para além de uma função específica.

Dessa forma, em vez da sua empresa utilizar menos do que um funcionário tem a oferecer ela pode, de fato, ampliar sua colaboração.

O processo de aquisição tradicional de funcionários quando substituído pelo Agile também se torna diferente.

Em vez do seu negócio publicar vagas apenas quando percebe a necessidade delas e, então, começar uma busca por talentos, ele passa a manter contato constante com profissionais, fortalecendo sua marca e aproveitando da sua presença em mídias sociais para fazer isso.

Quais são as técnicas Agile?

A essa altura, você já deve ter percebido que a Metodologia Agile é apenas o nome dado às técnicas nascidas do seu manifesto. No desenvolvimento Agile, há uma miríade delas sendo utilizadas. Agora você vai conhecê-las melhor.

SCRUM

O SCRUM é, provavelmente, uma das técnicas ágeis mais famosas em todo o mundo. Seu sucesso pode ser creditado ao fato de que ele traz todos os membros de uma equipe para trabalharem em conjunto.

Seu principal diferencial é fazer com que gestores e equipe concordem a respeito do que deve ser desenvolvido em um determinado projeto e, a partir daí, façam seus respectivos trabalhos.

Toda a parte operacional do SCRUM é programada para acontecer em um intervalo de 30 dias. Ela também é dividida em períodos menores de tempo, conhecidos como sprints.

Cada sprint consiste em um microprojeto, que, ao fim dos 30 dias, ajudará a resultar no software completo que todos concordaram em criar.

A divisão do trabalho se dá de forma orgânica e cada membro da equipe pode escolher quais sprints deseja tornar sua responsabilidade. Reuniões periódicas em que cada um dos colaboradores informa sobre o andamento dos seus trabalhos ajudam o gerente de projetos a ter ampla visibilidade sobre o que está acontecendo.

A equipe de RH pode utilizar o SCRUM, por exemplo, a fim de realizar uma divisão de trabalho mais eficiente. E, consequentemente, para agilizar seus processos internos.

Assim, o gerente de RH terá maior controle sobre o que acontece em seu departamento e ganhará visibilidade.

Tribos

Tribos é uma técnica ágil como qualquer outra, mas seu principal diferencial está na forma como o trabalho é organizado. Aqui, um grande grupo de profissionais trabalha rumo ao mesmo resultado, mas cada um tem uma função específica.

Colaboradores são separados em “tribos”, sendo então responsáveis por uma parte específica do desenvolvimento. Cada tribo possui autonomia completa e um líder é responsável por garantir que todas trabalhem em direção aos mesmos resultados.

Utilizar Tribos no RH pode ajudá-lo a fazer com que seus profissionais se dediquem melhor a suas tarefas. A autonomia dada a eles costuma ser o suficiente para fazer com que tragam melhores resultados para o time.

Squad

A técnica Squad é outra forma de organizar o trabalho dentro do Agile, para que ele seja o mais eficiente possível. Aqui, áreas específicas do negócio são divididas em times, ou squads, que têm o poder de tomar todas as decisões necessárias para atingir seus objetivos.

Cada squad funciona mais ou menos como sua própria startup e deve agir da maneira mais enxuta e ágil possível. Esses squads ganham seus próprios ambientes de trabalho e têm um “dono”, que é responsável por fazer a ponte com os demais squads.

O Squad é outro recurso que os RHs podem utilizar porque faz com que suas equipes se transformem em células independentes. Essas células podem lidar diretamente com contratação ou retenção de funcionários, por exemplo, com maior eficiência e tendem a ser mais dinâmicas que a estrutura de um RH tradicional.

Há cases de sucesso do Agile no RH?

Um case interessante do uso de Agile no RH foi feito pelo banco ING. A empresa se inspirou em Google, Netflix e outras grandes da tecnologia para dividir sua equipe em “squads” e “tribos”, a fim de aumentar o engajamento do funcionário. A ideia é não trabalhar com uma estrutura fixa e sim fazer com que seus funcionários se adaptem às necessidades conforme elas aparecem.

O que a companhia percebeu é que mudar a cultura do negócio é tão importante quanto introduzir novos processos. E, por isso, investiu em liderança para modelar o comportamento que esperava ver de seus funcionários.

Segundo a empresa, o impacto de trabalhar com essas mudanças ao longo de um período de 15 meses foi muito claro. Eles se tornaram mais ágeis no lançamento de produtos, reduziram gargalos e conseguiram otimizar a experiência do cliente, enquanto mantinham seus funcionários altamente engajados.

Todas as metodologias e técnicas ágeis citadas podem ser igualmente benéficas para sua empresa. Basta entender qual delas se encaixa melhor em sua configuração. Departamentos de recursos humanos têm muito a se beneficiar com a Metodologia Agile e sua adoção deve ser uma prioridade.

Conseguiu entender melhor a Metodologia Agile e seu impacto nos recursos humanos? Esperamos que sim. Para continuar aprendendo com artigos como este, assine nossa newsletter agora mesmo!