A matriz de desempenho e potencial — mais conhecida como Nine Box — é uma das ferramentas mais utilizadas no planejamento e desenvolvimento de sucessões.

Por isso, se você sofre de ansiedade quando:

  • Uma vaga é aberta em sua empresa
  • Um funcionário é promovido e você tem que encontrar um substituto
  • Tem dificuldades na identificação e formação de líderes?

A matriz Nine Box pode te ajudar em sua gestão de talentos. O planejamento de sucessão é um processo vital nas organizações para que elas mantenham-se competitivas no mercado.

Por isso, a Nine Box pode ser uma ferramenta valiosa para quem trabalha com gestão de talentos ou ocupa um cargo de gerente.

Neste post, você vai aprender como ela funciona e como você pode usá-la em conjunto com a avaliação de desempenho para formar líderes, planejar sucessões e gerir seus talentos.

O que é a Matriz Nine Box?

A matriz Nine Box é uma ferramenta simples e eficaz, utilizada para avaliar o talento nas organizações.

Sua função é analisar os colaboradores em duas dimensões:

  • seu desempenho no passado
  • seu potencial futuro

Com o uso da Nine Box, é possível superar alguns problemas das atuais avaliações de desempenho. Veja como funciona:

matriz-nine-box

  • O eixo X (linha horizontal) de 3 caixas avalia o desempenho atual de liderança
  • O eixo Y (linha vertical) de 3 caixas avalia o potencial de liderança
  • Uma combinação dos eixos X e Y compõe a caixa em que o líder é colocado na grade

Por que utilizar a Matriz de Desempenho e Potencial?

A Matriz Nine Box é uma maneira simples de analisar o potencial e o desempenho dos colaboradores. Ela é uma ótima maneira de facilitar o diálogo entre uma equipe sênior de liderança.

Com um debate aberto, as múltiplas perspectivas contempladas na Nine Box fornecem uma avaliação muito mais exata. Dessa forma, as divergências são mais facilmente superadas quando comparamos ao processo baseado na opinião de apenas uma pessoa.

Além disso, o processo dá um sentido de propriedade para o pool de talentos das organizações. Isso possibilita a identificação de necessidades de desenvolvimento e transição dos colaboradores.

A Nine Box é uma das ferramentas mais utilizadas no planejamento e desenvolvimento de sucessões nas organizações. Por isso, se você  trabalha com gestão de talentos ou ocupa um cargo de gerente, é fundamental conhecer como essa ferramenta funciona e como aplicá-la na rotina da empresa.

3 dicas práticas para começar a utilizar a Nine Box

A ferramenta funciona melhor se for utilizada por uma equipe, tendo um facilitador com experiência no processo. O facilitador pode ser uma pessoa do RH ou alguém responsável pelo desenvolvimento de lideranças e/ou planejamento de sucessão.

Com isso em mente, apresente a ferramenta e o processo para toda a equipe e certifique-se de que todos compreenderam. Não subestime o nível de ansiedade de uma equipe que nunca fez algo assim antes.

Mudanças e novidades sempre causam desconforto no início. Por isso, não economize nessa etapa. Faça com que todos compreendam por que o processo é importante e como ele pode beneficiar todos da equipe.

Decida com antecedência como o desempenho será avaliado. Use um modelo de competência de liderança se você tiver um. Defina também com antecedência os critérios para avaliação de potenciais específicos.

1. Estabeleça uma referência

É mais fácil primeiro definir uma pessoa com maior desempenho e potencial na Nine Box. Esse deve ser alguém que você considera que pode gerar pouca discordância. Peça ao gerente para explicar o raciocínio por trás da avaliação.

Pergunte o porquê da escolha e então convide os outros membros da equipe para comentar. Não se apresse! O benefício deste processo está na discussão.

Depois de todos terem sido ouvidos, se houver acordo, você tem um ponto de referência (benchmark) para comparar o desempenho e potencial dos outros colaboradores.

Havendo discordância na percepção, pergunte ao gerente se ele quer mudar de ideia com base no feedback. Geralmente eles mudam, mas se não ocorrer a mudança, não tem problema. Neste caso, escolha outro nome até que você estabeleça o benchmark.

Você pode então discutir o restante dos nomes em cada caixa da Nine Box.

Ao longo da discussão, mova para as outras caixas das extremidades e, em seguida, faça a avaliação do desempenho e potencial para as demais caixas.

Com isso feito, a equipe passa então a discutir planos de desenvolvimento para cada líder.

2. Planejamento de sucessão

Para o planejamento de sucessão, o foco deverá ser nas caixas de canto superior direito, onde estão os colaboradores com maior desempenho e potencial. Este é o seu pool de alto potencial.

A precisão da avaliação do desempenho e do potencial melhora com múltiplos pontos de informação. O gestor muitas vezes têm pontos cegos com seus próprios funcionários e não sabe como eles são percebidos por outras pessoas.

Essas discussões em equipe podem então ajudar com diversos pontos de vista e encontrar líderes potenciais não observados antes.

3. Trabalho em equipe

Existe uma regra importante para qualquer reunião de gerenciamento de talentos:

“Todos nós, como uma equipe, somos coletivamente responsáveis ​​pela construção de uma organização mais forte. Precisamos ser francos, ouvir uns aos outros e ajudar a desenvolver os empregados uns dos outros.”

Em uma organização funcional ou segmentada, o desenvolvimento de talentos é muitas vezes uma das poucas coisas que uma equipe de gerenciamento pode realmente trabalhar em conjunto.

O Nine Box funciona como uma avaliação das necessidades da organização para o planejamento de ações de desenvolvimento de talentos. Ela identifica potenciais líderes que realmente farão a diferença, como também aponta os líderes com maiores GAPs e que precisam de ajuda.

Com essas dicas, você já pode começar a implementar discussões em sua empresa com o auxílio da ferramenta Nine Box.

Se tiver qualquer dúvida sobre o assunto, deixe seu comentário. Se você já conhecia a Nine Box, compartilhe com a Impulse como foi sua experiência com ela. Até a próxima!