Entender e discutir sobre o RH na indústria 4.0 é essencial para manter e disseminar boas ações de gestão de pessoas. Com o e-learning cada vez mais presente e essencial para o sucesso das empresas, muita coisa tem mudado  — e é preciso se adaptar!

Não adianta manter práticas obsoletas, continuar acreditando que os talentos vão chegar à empresa e permanecer nela por muitos anos. É necessário um RH cada vez mais estratégico, ativo e digital.

Hoje, 56% das empresas tem remodelado seus processos de RH para aproveitar ferramentas digitais e móveis. Segundo a mesma pesquisa, na América Latina, 81% das empresas classificam o “RH digital” como importante ou muito importante. Então é preciso estar atento!

Pensando no assunto e em sua abrangência, criamos um artigo para você. Hoje, ai entender os principais desafios para o RH na indústria 4.0, como se adaptar e crescer. Boa leitura!

Atração e retenção de talentos

Encontrar e contratar os melhores talentos é um desafio cada vez maior. Em uma recente pesquisa com mais de 41 empregadores, constatou-se que 38% deles possuem dificuldades em preencher vagas.

Nesse sentido, o surgimento da indústria 4.0 reforça a necessidade de arquitetar uma marca empregadora. Conhecida como employer branding. Ela funciona como um ímã, atraindo profissionais qualificados para a empresa e retendo aqueles que já são parte do time.

É essencial, também, contar com uma plataforma que otimize todo o processo de recrutamento e seleção. Assim, será possível gerenciar as vagas, centralizar o contato com os talentos, aplicar testes online e obter uma série de outros benefícios que você pode ver aqui.

Automação e modernização de processos

Todos os processos de gestão de pessoas devem ser bem gerenciados, assim é possível obter grandes resultados. Há, no entanto, alguns que necessitam ser remodelados, pois somente assim poderão acompanhar as mudanças do mercado.

Dentre os principais, destacam-se a gestão do conhecimento e do capital humano. Hoje os ciclos são mais curtos e monitorados em modernos sistemas. Os treinamentos também através das plataformas LMS e e-learning.

Todas essas transformações demandam, também, adaptação do RH. É preciso investir em novas tecnologias, processos e métodos para obtenção de ótimos resultados.

Ao automatizar e modernizar os processos de gestão de pessoas, do recrutamento à avaliação de desempenho e gestão dos feedbacks. Dessa maneira o negócio fica mais competitivo e é possível crescer significativamente.

Manutenção da produtividade diária

Na indústria 4.0, onde as redes sociais podem ser acessadas até do relógio de pulso, o número de distrações é muito maior. Isso mitiga a produtividade diária, o foco e o empenho das equipes de trabalho.

Uma recente pesquisa afirma que apenas 39% do expediente é produtivo, sendo o restante perdido com atividades secundárias e dispensáveis.

Nesse contexto, é muito importante utilizar formas para manter o engajamento e foco dos colaboradores. Um grande exemplo de efetividade neste sentido é a gamificação.

De igual modo, é preciso que o gestor construa uma cultura de alto desempenho, através de novas formas de estabelecer objetivos e metas. Uma delas, é a metodologia OKR, fortemente difundida pelo Google.

Desenvolvimento de uma liderança disruptiva e conectada

Como se sabe, o RH possui função de staff. Na empresa, é seu dever dar suporte aos gerentes para que conduzam sua equipe ao sucesso. Nesse momento, o setor de recursos humanos tem outro desafio: arquitetar uma liderança disruptiva e conectada.

Os líderes de hoje precisam de um novo conjunto de conhecimentos e habilidades. Manter as competências do passado não é suficiente para encarar os desafios atuais, é preciso conhecer as novas ferramentas digitais e se adequar aos novos padrões de trabalho.

42% das empresas consideram o desenvolvimento da liderança como algo muito importante, uma verdadeira prioridade. No entanto, apenas 5% tem fortes programas de desenvolvimento e que contemplem o mundo digital de hoje.

Isso mostra que, as organizações que se destacam, são aquelas que estão se antecipando e investindo fortemente no desenvolvimento do seu capital humano.

O RH deve ser eficaz em conduzir essa mudança dentro da empresa, ajudando a formar líderes de alto desempenho e que entendam as novas dinâmicas do mercado.

Uso de dados para tomada de decisões

Definir quem vai ser treinado, promovido ou demitido não pode ser fruto apenas de palpites ou decisões pouco sistêmicas. Mais do que nunca, é necessário estabelecer um processo claro, com base em dados cuidadosamente analisados.

A verdade é que, na indústria 4.0, os dados devem permear cada uma das decisões do RH: da contratação, definição de planos estratégicos até a promoção de talentos.

Essa tendência é chamada de People Analytics. Os dados podem ser retirados de diversos meios, por exemplo, internet ou plataforma de gestão de pessoas. Em seguida, devem ser estruturados e transformados em informações estratégicas à firma.

Entretanto, o gestor de RH não deve se contentar com qualquer tipo de dados, é preciso “filtrar” aqueles possuem valor. No People Analytics, há três “Vs” para definir a qualidade dos dados: veracidade, volume e velocidade na qual os dados são adquiridos.

Adaptação aos novos modelos de trabalho

Os avanços da indústria 4.0 impulsionam novos modelos de trabalho, como o home office ou coworking (uso de espaços compartilhados). Estas não são simples tendências, mas mudanças que vieram para ficar e demandam a adaptação do RH das empresas.

A verdade é que os talentos, em especial da geração Y, desejam cada vez mais flexibilidade. O grande desafio é o RH oferecer essa flexibilidade, sem, no entanto, perder produtividade e competitividade do negócio.

Para tanto, há alguns caminhos mais diligentes. Primeiramente, é preciso remodelar a cultura organizacional, tornando-a mais inovadora. Além disso, é crucial investir em ferramentas que facilitem o monitoramento dos resultados, apensar da distância física.

Desse modo, será possível dar o espaço necessário aos talentos, permitindo-os trabalhar em sua própria casa ou em espaços compartilhados, sem que isso afete a produtividade diária. Assim, será possível inovar e, na mesma medida, manter o foco em resultados.

Como se pode observar, a chegada da indústria 4.0 demanda diversas mudanças ao RH. É preciso uma boa estratégia, ferramentas digitais, inovação e foco em resultados.

Somente assim, será possível manter a competitividade, se destacar de outras empresas, atrair talentos e retê-los dentro do empreendimento.

Agora você entende os desafios do RH na indústria 4.0, veja aqui em um vídeo prático com a plataforma da Impulse pode ajudar sua empresa a gerenciar e desenvolver competências dos seus funcionários.