João passou no processo seletivo de uma empresa na qual sonhava em trabalhar. Durante a seleção, respondeu perguntas como “Quais são suas metas para daqui um, cinco e dez anos?”. Ele começou a trabalhar na empresa, foi absorvido pela rotina e nunca mais se lembrou dos objetivos que listou. A história de João é igual a de uma série de profissionais que, gradualmente, perdem sua produtividade, motivação e o desejo pelo trabalho.

Um profissional sem desejo está fadado a cumprir horários, ser escravo de processos burocráticos e a ver sua performance ser reduzida pouco a pouco.

O que fazer para que isso não aconteça? Existem diversas atitudes que podem ajudar a sua empresa a construir um time produtivo e vencedor. No post de hoje, conheça as 5 principais delas!

1 – Conheça os talentos da empresa

A empresa que trabalha com RH estratégico não contrata números, contrata talentos — pessoas que realmente farão diferença no contexto organizacional. Portanto, o gestor que conhece os seus talentos caminha rumo ao aumento da produtividade.

Quando você conhece bem os membros da sua equipe, sabe em que projeto alocar na mão de cada um, quem precisa ser mais cobrado e quem está pronto a auxiliar. Assim, a sua liderança acontece de forma mais equilibrada.

Quando os funcionários percebem esse nível de proximidade, também se sentem mais confiantes e seguros. Saiba mais no artigo “3 motivos que o engajamento de funcionários depende da gerência”.

2 – Ofereça feedbacks para melhorar a produtividade

Pesquisa feita para o livro The Power of Feedback aponta que 46% dos entrevistados não recebiam um bom feedback regularmente. Uma maneira de combater isso é por meio de uma comunicação efetiva, que facilite a interação entre as equipes. Veja aqui um artigo publicado no blog da Impulse com 7 dicas para dar feedback.

O feedback sempre foi uma ferramenta essencial para impulsionar a performance de equipes. Entretanto, há algum tempo, grandes organizações estão percebendo que o modelo de avaliação de desempenho anual está sendo superado por uma outra lógica de avaliação. Se você convive mais com a sua equipe do que com a sua própria família, por que precisa esperar um ano para fazer a avaliação do seu funcionário?

As avaliações estão evoluindo para modelos menos engessados e burocráticos, que permitem uma comunicação mais fluida e frequente — não apenas entre gestor e subordinado, mas entre toda a equipe.

3 – Crie a cultura de capacitação

Uma equipe não deve ser treinada apenas quando está com baixa performance ou com algum problema específico. A cultura de treinamentos deve ser constante e diversificada. Se você gerencia uma equipe de engenheiros, sabe que eles já ficam imersos em números e tarefas muito duras ao longo do expediente.

Na hora de pensar em treinamentos, pense em algo que pode fazê-los relaxar, com ênfase no fortalecimento do trabalho em equipe. O e-learning traz várias inovações que permitem você inovar muito nesta área. Veja aqui 4 delas.

Por que não ir além e formar, por exemplo, uma equipe de trekking ou de rafting e propor a eles um desafio diferente? É o que faz a construtora Ladeira Miranda, de Taubaté, que há alguns anos promove a integração entre funcionários por meio de esportes radicais.

4 – Use a tecnologia para impulsionar resultados

Existe uma infinidade de recursos tecnológicos que podem auxiliar na avaliação e no aumento de produtividade da equipe — softwares, metodologias e equipamentos que interferem no controle da frequência e, até mesmo, na percepção da satisfação do funcionário.

Na área de comunicação, esses recursos são ainda mais valiosos, pois reduzem distâncias, permitem interação entre equipes distantes e reúnem informações e dados que, antes, poucos acessavam.

Aproveite toda essa gama de recursos e use a tecnologia para impulsionar resultados. Algumas instituições usam tecnologias de integração que automatizam os processos entre os sistemas da organização, o que faz aumentar a produtividade.

5 – Exerça a liderança formando novos líderes

Um artigo escrito por John Coleman, da Harvard Business School, indica que ler é um exercício fundamental para a formação de um líder, pois ajuda a desenvolver habilidades verbais e a consolidar a empatia.

O líder que faz gestão por competência sabe que formar novos líderes é uma qualidade dos bons gestores e, além disso, uma questão de sobrevivência para o negócio. A liderança deve ser exercida com desapego e verdadeira disposição de ensinar e formar pessoas capazes de fazer sempre melhor. Os bons líderes não se cansam nunca de formar pessoas!

Aprenda mais sobre como aumentar o desempenho da sua equipe em nosso eBook gratuito “Como obter ROI no RH“.