O Plano de Desenvolvimento Individual, ou PDI, é uma ferramenta utilizada pelo RH e gestores para impulsionar o potencial de um indivíduo de maneira organizada e estratégica. Assim, no planejamento da carreira, o PDI pode ajudar você (e sua equipe) a desenvolver novas competências, melhorar o desempenho e alcançar maiores desafios.

No post de hoje vamos esclarecer algumas questões sobre assunto, além de enumerar as vantagens de aplicar o PDI! Continue a leitura!

O que deve constar no Plano de Desenvolvimento Individual?

Um bom PDI deve considerar alguns elementos básicos. Entre eles, podemos destacar:

  • Uma definição dos objetivos e aspirações do profissional alinhado com as metas organizacionais. Ou seja, é fundamental encontrar o motivo para escrever o seu PDI, como, por exemplo, ascender no cargo;
  • Um panorama de sua formação e experiências profissionais até o momento. Nesse sentido, o detalhamento das funções desempenhadas e o conhecimento adquirido ajudam a entender e reforçar os pontos fortes do profissional;
  • Uma análise de suas competências, e lacunas de conhecimentos ou habilidades que ainda precisa adquirir. Isso pode ser identificado por meio de uma avaliação (ou feedback) do chefe ou de um processo de coaching. Não se esqueça também de questionar as pessoas ao redor para se fazer entender;
  • Um planejamento detalhado — praticamente um passo a passo — que indique como o profissional vai avançar de seu estágio atual até sua meta. Nele, é preciso colocar um prazo, delimitar as competências que precisam ser adquiridas para atingir esse objetivo, bem como identificar um mentor que poderá contribuir nesse processo;
  • Uma análise situacional é também muito importante. No entanto, isso deve ser pensado no âmbito empresarial. Ou seja, a corporação precisa definir quais os objetivos em curto, médio e longo prazos. Com isso, fica mais fácil construir um PDI eficaz e mais condizente com a realidade a qual o funcionário está exposto.

O Plano também deverá indicar prazos de realização bem definidos. É possível criar um PDI para um semestre, um ano, cinco anos, etc. O importante é que as metas estipuladas sejam condizentes com o prazo.

Como funciona um PDI?

O Plano de Desenvolvimento Individual funciona como um processo de desenvolvimento personalizado. Ou seja, nas empresas, ele é utilizado como indicador do caminho a ser seguido por um colaborador. Inclusive a ferramenta faz parte da gestão de pessoas e tem o objetivo de alinhar as expectativas da organização em relação ao potencial do trabalhador.

No entanto, a iniciativa também pode partir do próprio funcionário. Para isso, ele precisará pesquisar as oportunidades de carreira dentro da empresa, a abertura ao desenvolvimento, o processo de ascensão de cargos e outros fatores relevantes para nortear seu crescimento.

Quais são as 8 principais vantagens de utilizar o PDI?

O Plano de Desenvolvimento Individual é adotado na Gestão de Talentos como uma ferramenta de alto impacto para impulsionar a carreira dos profissionais. Os motivos para essa implementação são as oito grandes vantagens que ele proporciona:

1. Clareza

Permite que o profissional tenha um entendimento mais claro sobre o que está acontecendo na sua carreira. Todo o progresso está relacionado a uma série de ações estratégicas bem planejadas, e não ao acaso.

2. Motivação

O plano se baseia completamente nos objetivos e aspirações definidas pelo próprio profissional. Ele se sentirá mais motivado, porque sabe que cada atividade concluída representa um passo na direção de suas metas.

3. Direcionamento

Ele oferece um mapa do desenvolvimento da carreira para o profissional. Com esse mapa, ele pode assumir o controle sobre seu desenvolvimento com maior autonomia. Assim, o profissional sempre saberá qual deve ser seu próximo passo. Dessa forma, ele poderá investir seu tempo e focar seu esforço.

4. Responsabilidade

O Plano coloca a responsabilidade sobre o futuro nas mãos do próprio colaborador. Afinal, ele já sabe o que precisa fazer, quando e como. Portanto, tomar uma atitude e obter os resultados que deseja depende apenas dele.

5. Autoconhecimento

A elaboração do Plano exige uma investigação interior profunda — qual a razão por trás das suas metas de desenvolvimento? Quais são suas melhores competências? O que é mais importante para você na sua carreira? No processo de criar um PDI, o profissional vai aprender muito sobre si mesmo.

6. Diferenciação

O mercado atual exige cada vez mais conhecimento dos profissionais. Isso porque a competitividade vem crescendo e cada vez mais pessoas buscam se destacar. Com um PDI é possível ressaltar o diferencial e trabalhar em cima dele. Assim, fica mais fácil para empresa perceber o valor daquele funcionário, já que ela também ganha com essa qualificação.

7. Satisfação com a carreira

Uma das maiores vantagens do Plano de Desenvolvimento Individual é que ele permite ao profissional alinhar os seus sonhos de carreira. Consequentemente, isso se reflete na satisfação que ele sente ao trabalhar em determinado cargo, trazendo inclusive benefícios positivos para a empresa.

8. Identificação

Se encontrar em uma profissão não é nada fácil. Muitas pessoas começam em um emprego e logo ficam desmotivadas, pois nem sempre é aquilo que elas queriam e planejaram. Por outro lado, quando se tem um PDI, fazer identificação é mais fácil, já que se sabe para onde está indo e os passos que levarão à realização.

Qual a importância das metas e prazos no PDI?

Para que um plano funcione de maneira eficaz, é preciso contar com definições bem específicas e um prazo para cada passo estipulado. Isso é fundamental, pois ajuda a mudar o comportamento levando mais motivação ao dia a dia do profissional.

Além disso, ter um planejamento detalhado contribui para um comprometimento maior com os passos dados em direção à meta final. Ao visualizar todos os benefícios, evita-se o estresse, pois ele tem todo o direcionamento, e coloca claramente quais são as prioridades para cada momento.

Quais resultados o PDI pode trazer?

Um interessante estudo foi conduzido pelo Instituto de Estudos de Empregabilidade (Institute for Employment Studies – IES), do Reino Unido, sobre PDIs. Nele, os pesquisadores realizaram diferentes estudos de caso, com oito empresas, para avaliar o impacto do PDI sobre a Gestão de Talentos.

Basicamente, estas empresas esperavam que ele fizesse com que os funcionários assumissem a responsabilidade por seu desenvolvimento profissional, ao invés deixar essa responsabilidade para o setor de Recursos Humanos.

Ao final do estudo, todas as empresas ficaram entusiasmadas com os resultados apresentados pelo plano. Mais do que isso, as empresas também notaram um impacto dessa experiência sobre o desenvolvimento do negócio. Você pode ver o relatório completo do estudo de caso no site do Instituto (em Inglês).

Além disso, as competências mais comuns dentro do PDI dos funcionários da sua empresa pode auxiliar a criar descrição de cargos para processos seletivos. Saiba mais sobre como criar uma descrição de cargos eficientes aqui.

Você já aplica o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) para impulsionar seu próprio crescimento profissional? Como tem trabalhado a gestão talentos da sua equipe? Para saber mais sobre esse e outros assuntos, inscreva-se na newsletter da Impulse e receba mais conteúdos de qualidade no seu e-mail!