Agora que 2018 já começou, nós compilamos algumas das tendências mais importantes  e que chamaram mais atenção na área de Treinamento e Desenvolvimento (T&D).

Enquanto algumas delas têm sido tendências crescentes por algum tempo, nós estamos rapidamente nos aproximando de uma realidade em que elas serão indispensáveis para o sucesso de uma organização.

Aqui estão as 10 prioridades para Treinamento e Desenvolvimento em 2018:

1. Melhor alinhamento dos objetivos de Treinamento e Desenvolvimento aos objetivos de negócio

De acordo com o Relatório do Linkedin sobre Aprendizagem no Ambiente de Trabalho de 2017, um dos cinco principais desafios para os praticantes de T&D é alinhar o treinamento à estratégia de negócios da sua organização.

Muitas empresas ainda falham em conduzir um Levantamento das Necessidades de Treinamento (LNT) apropriado — um passo fundamental no processo de alinhamento entre a área de T&D e os negócios.

Este processo garante que os programas de treinamento irão suprir as necessidades dos negócios e que terão como alvo preencher, de fato, as lacunas de conhecimento e habilidades essenciais para o sucesso da empresa.

2. Métricas mais robustas de treinamento

O relatório do Linkedin também indica que os principais desafios dos profissionais de Treinamento e Desenvolvimento estão ligados à sua inabilidade de demonstrar o impacto de suas ações no negócio.

Atualmente, a maioria das empresas ainda está presa aos dois primeiros níveis do modelo de evolução de treinamento de 4 níveis de Kirkpatrick.

Profissionais de T&D devem trabalhar para superar as métricas de satisfação, engajamento e obtenção de competências. Eles devem começar a analisar a aplicação dos aprendizados no ambiente de trabalho, seu impacto na performance e o ROI.

3. Plataforma LMS mais flexível

O mercado da tecnologia de Learning está se tornando saturado com diversos fornecedores de LMS, muitos dos quais ainda oferecem pouco flexíveis.

É preciso muita pesquisa para encontrar a melhor solução LMS que irá se adequar às suas necessidades.

Em uma realidade de mudanças constantes nas organizações e colaboradores, nós estamos nos tornando inclinados a plataformas LMS que são flexíveis, acessíveis e capazes de comunicar e compartilhar dados com outros sistemas.

4. Curadoria de conteúdo

A curadoria de conteúdo contribui para a performance da organização de diversas maneiras.

Se trata de identificar a informação mais relevante para os aprendizes e contextualizá-la e organizá-la de maneira que a torne mais eficiente e acessível para eles.

As tendências de T&D estão avançando para a construção de uma biblioteca de learning que cobre tópicos relevantes, facilmente acessíveis para a oportunidade de treinamento.

5. Treinamento que vai até onde os aprendizes estão

Alinhado à construção de uma biblioteca de aprendizagem e à escolha de um LMS flexível, as prioridades de T&D estão mudando de programas únicos para conteúdos micro, fáceis de digerir, acessíveis sob demanda.

Com um design mais ágil e tecnológico, os treinamentos realizados em plataformas móveis e na nuvem ajudam a maximizar a biblioteca de conhecimentos.

Esse mix de learning também permite que os profissionais de T&D ofereçam métodos efetivos e relevantes de entrega para os seus trainees.

6. Conteúdo de learning atualizado regularmente

A vida útil das habilidades está diminuindo. À medida que novas tecnologias se tornam acessíveis, velhas habilidades se tornam ultrapassadas. O relatório do Linkedin mencionado anteriormente indica que a vida útil das habilidades é de menos de 5 anos.

Profissionais de learning devem ter como prioridade a manutenção dessas habilidades e garantir que os profissionais tenham em mãos materiais atualizados.

7. Desenvolvendo competências para papéis futuros

Investir em competências para futuros papéis, como o desenvolvimento de lideranças, deve começar assim que o novo colaborador entra na empresa.

Profissionais de T&D devem iniciar uma cultura de aprendizagem em suas empresas e criar equipes que evoluam com o tempo.

8. Fortalecer competências comportamentais

É essencial focar em desenvolver essas competências para melhor colaboração, comunicação, tomada de decisão, negociação, entre outras.

Esses são bons exemplos de competências que contribuem para uma força de trabalho mais competitiva.

9. Instrutores como coaches

Novas tecnologias não deveriam substituir instrutores presenciais em T&D. Apesar de treinamentos presenciais não cumprirem mais um papel central em programas de treinamento corporativo, eles ainda são essenciais para que os profissionais entendam e retenham informação e habilidades.

Seus papéis estão meramente mudando de instrutores para coaches ou tutores, com maior ênfase na habilidade de personalizar a experiência de aprendizagem para cada indivíduo.

10. Impulsionando o treinamento como um benefício para o colaborador

Programas de T&D se tornaram um diferencial chave em companhias competindo por talentos. Eles cumprem um papel ativo em engajar, motivar, reter e empoderar seus melhores talentos.

De acordo com a Teoria da Motivação-Higiene de Herzberg, fatores que ajudam na satisfação no trabalho incluem:

  • crescimento pessoal
  • reconhecimento
  • realização

A falta de oportunidades para avanços na carreira é a segunda razão citada mais frequente para deixar uma empresa.

As necessidades e as prioridades do negócio mudaram. Os profissionais de T&D devem ser mais deliberados na sua abordagem para a adaptação aos tempos atuais.

Sua função tem se transformado de meros organizadores de evento para consultores de performance, gerenciando uma cultura de aprendizagem e desenvolvimento de modelos de competência que estão alinhados aos objetivos de negócio.

Se você quer ter seu programa de T&D como uma prioridade em 2018 e transformá-lo com um LMS mais flexível, convidamos você a conhecer as soluções da Impulse. Visite nosso site e agende um horário com nossos consultores para uma demo gratuita!