A forma como conhecemos e encaramos o trabalho vem mudando muito ao longo dos últimos anos. De empregos e funções cada vez mais específicas até ambientes que exigem profissionais multitalentos, surgiu um novo conceito: o job crafting.

fomento ao conhecimento, a vasta oferta de tecnologia, informações e a automatização de diversos processos do cotidiano de uma empresa são apenas alguns dos fatores que conduziram a essa nova realidade.

O conceito de job crafting se refere a uma prática de reconstrução do significado de trabalho contrário à definição e ao engessamento de responsabilidades. A ideia é tornar as atividades profissionais mais produtivas por meio do despertar de uma relação mais afetiva com as funções exercidas.

Continue conosco, leia este post até o final e descubra um pouco mais sobre job crafting.

Conheça qual a importância de se aderir a esse conceito em sua empresa e ganhe dicas importantes para que você possa implementá-lo!

O que é job crafting?

O conceito do job crafting surgiu a partir de uma pesquisa realizada por duas professoras universitárias — Amy Wrzesniewski (Yale School of Management) e Jane Dutton (Universidade de Michigan) —, no ano de 2001.

O estudo observou um grupo de profissionais cujo trabalho era pouco valorizado. As entrevistas ocorreram com uma equipe de limpeza de um hospital, a fim de analisar as diferentes percepções de indivíduos com o mesmo emprego.

O resultado da observação foi uma disparidade significativa entre a forma como os indivíduos percebiam seu emprego:

  • o primeiro grupo desempenhava sua função por obrigação, com pouca satisfação e interações sociais mínimas, buscando apenas receber seu salário no fim do mês;
  • o segundo grupo encontrava em seu trabalho algo que lhe dava significado, entendia sua atividade como parte do processo de cura das pessoas.

job crafting foi o termo encontrado para traduzir o fenômeno ocorrido com o segundo grupo, que personalizou e atribuiu valor às suas funções.

Portanto, job crafting é uma definição para o redesenho do sentido do próprio trabalho. Ou seja, é quando os profissionais são coautores de suas atividades e experiências no ambiente de trabalho.

Nesse contexto, acontece uma reformulação física, social e cognitiva sobre as atividades realizadas na empresa, promovendo, entre outras coisas, mais engajamento, resiliência e satisfação com a empresa.

Quando um profissional recebe uma descrição da vaga, com a formulação de suas obrigações, inconscientemente ele se limita a tal descrição. Já quando ele transpõe essa barreira e começa a perceber as possibilidades de desenvolver outros aspectos em seu trabalho — sociais, físicos ou cognitivos —, ele passa a praticar o job crafting.

Em uma linha geral, o job crafting é a representação da proatividade. Ele permite que cada um aplique seu conjunto único de potencialidades para transformar seu trabalho em algo verdadeiramente significativo.

Isso tudo por meio de pequenas mudanças criativas adotadas na forma como são executadas e percebidas as tarefas diárias. Assim, cria-se comprometimento e estabelecendo condições para a melhoria contínua da função e de si próprio.

Qual a importância de se aderir ao conceito?

O estudo realizado por Wrzesniewski e Dutton permitiu a gestores e líderes se atentarem ao fato de que pequenas atitudes inclusas no dia a dia de trabalho, agregam valor para o profissional por estarem alinhadas com seus propósitos e interesses pessoais.

Além disso, cada pessoa atribui um significado específico para a atividade que desempenha. Por isso, os pares de uma mesma função podem estar em níveis diferentes de motivação e satisfação com o emprego.

No entanto, quando as pessoas entendem o benefício gerado por suas tarefas a outros, elas passam a sentir mais prazer em desempenhar com excelência suas funções.

Isso faz com que as pessoas encontrem sentido para o trabalho que realizam, percebendo o impacto que seu empenho tem na qualidade da entrega final de determinado serviço ou produto.

Dessa maneira, outros benefícios ficam evidentes, como:

  • valorização da função;
  • maior satisfação e produtividade;
  • engajamento com a empresa;
  • bem-estar;
  • curiosidade para experimentar métodos novos;
  • criatividade;
  • engajamento social;
  • comprometimento;
  • melhor performance de trabalho;
  • impactos positivos na liderança.

Como implementar na empresa?

O primeiro passo para implementar o job crafting é entender que essa é uma prática que reconstrói funções. Basicamente como se elas fossem um aglomerado de peças de montar que podem ser combinadas de maneiras distintas.

No entanto, elas também precisam se encaixar nas peças das outras pessoas que compõem a equipe de trabalho.

A partir deste ponto, a implementação do job crafting pode ser algo muito simples por meio de três etapas básicas para aplicá-lo. Confira:

1. Tarefa

Trata-se da alteração das atividades e das tarefas diárias do trabalho. É possível alterar as tarefas a partir do volume de atividades adotadas, de seu modo de execução ou simplesmente de sua variedade.

Isso pode ser feito por meio da adoção de novas tecnologias, do englobamento de tarefas consideradas importantes para a execução do trabalho ou da reformulação de outras não essenciais.

2. Relacionamento

Está baseada na renovação do relacionamento interpessoal e da perspectiva sobre o trabalho desempenhado. Quanto aos relacionamentos, é viável redefinir a forma como o profissional estabelece relações sociais no espaço de trabalho, pautando suas interações em apreciações, por exemplo.

3. Cognição

É a reformulação das interações e das percepções sobre o sentido do trabalho e as oportunidades de atuação em uma função.

Basicamente, trata-se da mudança ocorrida na maneira como o indivíduo pensa seu trabalho e como percebe o impacto daquilo que ele realiza. Pode ser utilizada para desenvolver resultados, relacionamentos, identidade ou interesses.

Além dessas três maneiras básicas, é possível incentivar o job crafting ainda por meio de:

  • delineamentos de funções mais flexíveis;
  • reuniões de trabalho interativas e que estimulem a participação;
  • metas estratégicas desafiadoras em termos de criatividade;
  • intervenções e exercícios de job crafting;
  • estímulo à inovação de processos;
  • apoio à realização do trabalho e autonomia para decisões de rotina;
  • planos de desenvolvimento pautados nos interesses dos profissionais.

O interessante é que, o colaborador quebre com a lógica tradicional e deixe de encarar seu trabalho como mera obrigação, passando a vê-lo como um ambiente de diversas possibilidades de realização e satisfação profissional.​

Agora que você já conhece o conceito de job crafting, seus benefícios e como aplicá-lo em sua empresa, que tal assinar nossa newsletter e receber todos os nossos conteúdos em seu e-mail?